“O mal do século”

Sou formada em medicina há 7 anos. Desde então só trabalhava no SUS, em um grande hospital público e há 4 meses comecei a trabalhar em um hospital particular. 

Confesso que a última visita que fiz me desgastou emocionalmente e me deixou pensativa sobre várias aspectos da vida. 

3 pacientes seguidos e uma conversa ouvida por colegas ao lado enquanto registrava no prontuário informatizado as visitas. Nomes próprios a seguir foram alterados intencionalmente por mim.

a) Lourdes, 40 e poucos anos, estava de alta hospitalar e comemorando por poder voltar a ver sua filha de 1 ano de idade. Como se tivesse que justificar, ela já comentou que teve que ser mãe mais tarde, pois seu primeiro filho, há 2-3 anos se foi pela “Doença do século” – depressão. Sim, ele tirou a própria vida aos 18 anos de idade.

b) Quarto ao lado, Joyce refere que estava feliz com a alta médica (internada por uma infecção urinária) pois poderia voltar a fazer a terapia dela. Afinal, tinha descoberto há pouco tempo que o ex-noivo era ‘garoto de programa’. Descobriu um tempo depois do término do noivado

c) Lúcia, 75 anos, lúcida, internada há 3 dias por Pneumonia. Filha questiona a alta. Converso que a mãe dela ainda tinha feito febre há menos de 24 horas, ainda aguardavámos alguns exames. De pronto, a filha refere: “Eu já falei com minha irmã que essa nossa mãe vai nos levar a falência”. Repetindo: a mãe estava lúcida ao lado dela!

d) Sentada no computador pra registro de prontuário escuto a conversa ao lado de duas profissinais do serviço:

  • A Ingrid é louca de sair do emprego pra ficar com os filhos em casa! Vai enlouquecer! Sem um tempo no dia pra espairecer a cabeça! 
  • Eu também acho! Meus filhos por exemplo, quando estão de férias, eu mando pra creche pra ficar longe de mim porque eu não aguento criança!.

Em 2 Timóteo 3:-5 diz “Saiba disto: nos últimos dias sobrevirão tempos terríveis. Os homens serão egoístas, avarentos, presunçosos, arrogantes, blasfemos, desobedientes aos pais, ingratos, ímpios, sem amor pela família, irreconciliáveis, caluniadores, sem domínio próprio, cruéis, inimigos do bem, traidores, precipitados, soberbos, mais amantes dos prazeres do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade (politicamente corretos), mas negando o seu poder. Afaste-se também destes. Versão NVI – Parênteses e negrito foi acréscimo meu.

Quanto não estamos absorvendo do mundo em nossos conceitos e lares, justificando como se apenas fossemos parte de uma sociedade moderna? O quão diferente nossa vida e nossos discursos são dos dessa sociedade? Temos feito real diferença ou nossos conceitos sobre cuidados dos nossos pais, cuidado com nossos filhos, são os mesmos.

Não sou fatalista, mas nossa sociedade está perdida e, caso Cristo não volte logo, vai ficar ainda pior! 

Que nós possamos ser realmente diferentes! A mudança só vem de Cristo! Senão será apenas mais uma teoria, conceito, estilo de vida….

Cristo se revela na Bíblia e ela continua sendo muito real, atual e totalmente relevante pra todos os nossos dilemas e problemas.

Que Romanos 12:2 possa falar cada dia mais alto no coração de cada cristão.

E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, pra que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *